COMPRA MAIS & PAGUE MENOS - RECEBA ATÉ 30% DE DESCONTOS

COMPRA MAIS & PAGUE MENOS - RECEBA ATÉ 30% DE DESCONTOS

Lá se foi mais um Olympia. Por sinal, um dos mais emocionantes e surpreendentes de todos os tempos, recheado de novos campeões e novas estrelas em ascensão.


Esse também foi um dos Olympias mais cheio de incertezas e dificuldades na produção e organização. A pandemia que vem assolando o Mundo fez com que vários eventos esportivos importantes, como os Jogos Olímpicos, fossem cancelados. Muitos outros eventos foram adiados.


O Bodybuilding, infelizmente, não escapou dessa e diversos shows foram cancelados, outros foram adiados, mais de uma vez, outros realocados de uma cidade para outra.


Os organizadores fizeram um excelente trabalho na questão de manter o Show vivo e realizar o Olympia em 2020.


Poucas semanas antes do show, a organização se viu forçada a mudar o evento de Las Vegas para Orlando. Uma mudança que seria um grande desafio logístico, mas que deu certo.


O Olympia Weekend aconteceu, foi um grande sucesso e vamos agora ver alguns dos destaques.


Um dos fatos que marcou esse Olympia foi a grande troca de Campeões. A Maioria das categorias teve novos campeões coroados, fato que não é muito comum no Olympia. 


Na Bikini, a campeã de 2019, Isa Pecini enfrentou lesões ao longo do ano, não trouxe sua melhor forma e acabou ficando na sexta colocação.  A campeã foi Janet Layug com as brasileiras Étila na terceira colocação e Angélica Teixeira na quarta posição.


 A categoria Women 's Physique foi uma das mais polêmicas, mas também a categoria na qual as Brasileiras foram mais bem sucedidas. Tivemos 3 Brasileiras entre 6 melhores na categoria.


Dani Castilho, treinada pelo Coach Rubens, ficou com a sexta colocação. Ivie Rhein, brasileira radicada na Flórida pulou de décima-quinta colocada em 2019 para quinta colocada em 2020, sendo a atleta que mais evoluiu esse ano.


Na terceira posição tivemos Natália Coelho. A luta pelo título foi entre Shanique Grant (Campeã em 2019) e Sarah Villegas (vice em 2019). E dessa vez, Sarah levou o título na decisão mais controversa do final de semana.


A Men´s Physique teve um julgamento tão conturbado quanto. O Brasileiro Caike de Oliveira terminou com a excelente sétima  colocação.


O Atleta Dragon Pharma, Andre Ferguson, que é o homem com mais títulos Pro na Men ́s Physique e atual campeão do Arnold Ohio - não conseguiu trazer sua melhor forma e ficou com a também excelente sexta colocação.

Após um resultado adverso e inesperado, Ferguson teve uma atitude extremamente profissional e concordou com os árbitros.  Ele declarou logo após o show: “Não atingi o pico corretamente. Definitivamente tive a colocação que mereci. Os caras à minha frente estavam excelentes e mereceram.”

Andre vai agora descansar um pouco e se preparar para chegar melhor do que nunca na temporada 2021.

Andre Ferguson, atleta Dragon Pharma - Sexto Colocado

 

O grande vencedor da Men 's  Physique foi Brandon Hendrickson, que já havia vencido o Olympia em 2018 e agora retoma seu título.


Na Classic Physique, a categoria que mais cresce em prestígio e admiração, o Campeão se manteve no topo. Chris Bumstead venceu novamente.


Em 2019 ele havia superado o então campeão Breon Ansley. Bumstead foi criticado o ano todo, principalmente por Breon - por ter dorsais e biceps fracos. Breon chegou a chamar Bumstead de campeão do Instagram, dando a entender que ele só havia vencido por ter mais seguidores e influência.


Na hora do palco, Bumstead revelou um físico maior e melhor do que a versão de 2019. Ele melhorou absurdamente suas costas e bíceps, veio maior e mais cheio e não deu chances para Breon Ansley.


Essa foi a maior rivalidade do Olympia 2020, que resultou em cotoveladas e tanta tensão a ponto dos árbitros mudarem de lugar para que ficassem longe um do outro.


No final, Bumstead venceu, Breon acabou ficando com a terceira colocação enquanto que Terrence Ruffin ficou em segundo.

O atleta Dragon Pharma, Logan Franklin, competiu o seu primeiro Olympia como Classic Physique e terminou com um excelente nono lugar entre 26 atletas. Logan competiu diversas vezes com grande sucesso na Men´s Physique e tem feito uma transição de sucesso para a Classic. Em 2020 ele venceu o New York Pro e fecha como o nono melhor Classic do mundo. 

Em 2021 Logan voltará ainda melhor para conquistar mais vitórias, adequar mais seu físico e revelar todo o seu potencial na categoria.

Logan Franklin - Atleta Dragon Pharma 


A categoria 212 também teve um novo campeão. Na verdade, ela foi uma das mais surpreendentes do fim de semana. Sem um grande nome ou favorito desde a saída do sete vezes campeão do Olympia, Flex Lewis em 2018 - a 212 veio com alguns atletas podendo vencer.


O campeão de 2019, Kamal ElGargni, estava longe de ser uma unanimidade no alto de seus 49 anos. Ele veio muito bem, trouxe um físico volumoso, bem definido e melhor que no ano passado.


Mas isso não foi o suficiente para deter o pequeno Shawn Clarida. A categoria 212 se chama assim pois o limite de peso para os atletas é 212 libras, cerca de 96 kg.

E Shawn Clarida competiu com 80 kg. Muito abaixo do limite. Ele enfrentou caras com 15 ou 16 kg a mais que ele - e venceu!

Clarida tinha ficado em terceiro lugar em 2019 e terminou como campeão, superando todos os prognósticos. Foi um dos campeões mais festejados da noite.

Na terceira colocação ficou George Peterson, que fez sua estreia na 212 do Olympia. Peterson migrou da Classic Physique para a 212 em 2020 e já conquistou a terceira colocação. Com mais um pouco de trabalho e ajustes, ele pode se tornar campeão em breve.

A categoria mais aguardada do fim de semana foi a Bodybuilding Open. Phil Heath, sete vezes campeão do Olympia, fez o seu retorno aos palcos. Muito se falou sobre sua volta, que foi tratada como algo cinematográfico.

Ele perdeu o título em 2018 devido a problemas em uma cirurgia de hérnia. Tirou dois anos para se recuperar e havia afirmado que estava 100%. No momento que ele entrou no palco, o mundo percebeu que não estava tudo bem. Com o abdômen totalmente fora de controle, Phil acabou terminando com uma decepcionante terceira colocação

Hadi Choopan, um dos favoritos do público, terminou com a quarta colocação. Na verdade, ele chegou nos EUA em cima da hora para a competição por questão de visto e não conseguiu entrar 100% nas prévias na Sexta a noite.

No Sábado, nas finais, ele terminou com a segunda colocação, mas o estrago já estava feito nas prévias e ele acabou ficando em quarto, no somatório geral.


No final, restaram apenas dois homens no palco para o anúncio do campeão do Olympia 2020. Um deles era o campeão de 2019, Brandon Curry, o outro ninguém menos que Big Ramy.


Big Ramy vinha desacreditado por muitos ao longo dos últimos dois anos, mas trouxe um físico exemplar. Corrigiu desproporções, veio um pouco menor e muito mais seco. Isso tudo o tornou imbatível nesse  Olympia e lhe garantiu o título.


Em segundo lugar ficou Brandon Curry, que não veio bem e foi perdendo qualidade e definição ao longo das finais.


Hadi Choopan (4°), Brandon Curry (2°), Big Ramy (1°), Phil Heath (3°), William Bonac (5º)

 

Esse foi o Fim de Semana do Olympia. Mais uma temporada se encerra, mais um grande show foi realizado, com centenas de atletas profissionais e amadores mostrando ao mundo sua arte e seu trabalho duro. Que venha 2021!



Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados